INCLUSÃO EM EDUCAÇÃO NA PERSPECTIVA DO DESENHO UNIVERSAL PARA APRENDIZAGEM COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO E EMANCIPAÇÃO PARA ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Marisa Mendes Machado de Souza, Suzete Araujo Oliveira Gomes

Resumo


Embora o país tenha conseguido ver de perto a universalização do acesso à escola, não conseguiu o mesmo com o conhecimento, incluindo o desenvolvimento acadêmico de estudantes com deficiência intelectual. Como contraponto desta realidade, o Desenho Universal para Aprendizagem ressalta essa ainda nova perspectiva de possibilidades na educação inclusiva. A partir dos conceitos e perspectivas que perpassam a inclusão em educação é destacada a relevância de um currículo planejado e exercido para a diversidade de alunos para a qual a educação se propõe. As concepções apresentadas destacam a importância de adequações pedagógicas no campo da Educação Inclusiva e correlacionam os apontamentos com a realidade escolar.

Palavras-chave


Inclusão em Educação, Adequações Pedagógicas, Diferenciação Curricular.

Texto completo:

PDF

Referências


AAIDD. Asociación Americana de Discapacidades Intelectuales y del Desarrollo. Discapacidad Intelectual: definición, clasificación y sistemas de apoyo. 11ª Edición. Espanha: Editorial Alianza, 2011.

ALVES, M. M.; RIBEIRO, J..; SIMÕES, F. Universal Design for Learning (UDL): Contributos para uma escola de todos. In: Indagatio Didactica, v.5 (4), dez. 2013.

ALVES, M. M.; ALMEIDA, A.; FERREIRA, A. M.; NEVES, H.; PRATA, M. M. Desenho Universal para a Aprendizagem: Trilhos inclusivos rumo ao sucesso educativo. In: Educação Inclusiva Revista da Pró-inclusão: ANDEE. Vol. 9, nº 1, jul. 2018.

ANDRÉ, M. Pedagogia das diferenças na sala de aula. Campinas: Papirus,1999.

BAGLIERI, S.; BEJOIAN, L. M.; BRODERICK, A. A.; CONNOR, D. J.; VALLE, J. Inclusive Education” toward cohesion in educational reform: disability studies unravels the myth of the normal child. Teachers College Record, v. 113, 2011.

BALEOTTI, L. R.; DEL MASSO, M. C. Diversidade, diferença e deficiência no contexto educacional. IN: OMOTE, Sadao; OLIVEIRA, Maria Augusta Sampaio; GIROTO, C. R. Inclusão Escolar: As contribuições da Educação Especial. – Marília: Fundepe, 2008.

BERSCH, R. Design de um Serviço de Tecnologia Assistiva em Escolas Públicas. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Engenharia, Programa de PósGraduação em Design, Porto Alegre, BR-RS, 2009.

BRASIL. Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Brasília: SEDH/ CNIPPD: 2007.

______. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, jan. 2008a. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf> . Acesso em: mar. 2017.

CARVALHO, F. A. H. Reaprender a aprender: a pesquisa como alternativa metacognitiva. 150f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

CONCIL FOR EXCEPTIONAL CHILDREN. The Concil for Exceptional Children. Estados Unidos: Pearson, 2005.

COUSIC, R.; MACONOCHIE, H. Hey, the Tomatoes Didn't Grow, but Something Else Did!": Contesting Containment, Cultivating Competence in Children Labeled with Disabilities. In: Disability Studies Quarterly: The first journal in the field of disability studies. Vol. 37, n. 3, 2017.

CUNHA, A. E. Práticas pedagógicas para a inclusão e diversidade. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2015.

EDYBURN, D. L. (2005). Universal Design for Learning. Special Education Technology Practice, 7(5), 16-22.

FERREIRA, M. C. C; FERREIRA., J. R. Sobre inclusão, políticas públicas e práticas pedagógicas. IN: GÓES, M. C. R.; LAPLANE, A. L. F. Políticas e Práticas de Educação Inclusiva. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

FONSECA, V. Aprender a Aprender: a educabilidade cognitiva. Porto Alegre: Artmed, 1998. Apud CARVALHO, Fernanda A. H. de. Reaprender a aprender: a pesquisa como alternativa metacognitiva. 150f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

GLAT, R.; BLANCO, L. M. V. Educação Especial no contexto de uma Educação Inclusiva. In: GLAT, Rosana (org.). Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

HALL, T. E.; ROSE, D..; MEYER, A.. Universal Design for Learning in the Classroon: Practical Applications. New York: The Guilford Press, 2012.

LIASIDOU, A. Critical disability studies and socially just change in higher education. British journal of special education, v. 41, n. 2, p. 120-135, 2014.

MANTOAN, M. T. E.. Inclusão escolar: O que é? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MARIN, M.; BRAUN, P. Tecnologias de baixo custo e o ensino de alunos com deficiência intelectual. In: Anais do I Seminário Internacional de Inclusão Escolar. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro - CAp-UERJ, 2014.

MARQUES, S. M. Paulo Freire para pensar e agir na inclusão escolar de crianças com necessidades educacionais especiais. In: VICTOR, Sonia Lopes; DRAGO, Rogério; CHICON, José Francisco. Educação Especial e Educação Inclusiva: Conhecimentos, experiências e formação. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2011.

MIRANDA, A. A. B. História, deficiência e Educação Especial. Reflexões desenvolvidas na tese de doutorado: A prática pedagógica do professor de alunos com deficiência mental, Unimep, 2003. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/revis/revis15/art1_15.pdf. Acesso em: 13 mar. 2017.

NELSON, L. L. Design and deliver: planning and teaching using universal design for learning. Paul. H. Brookes Publishing Co. 2013. 151p.

NUNES, C.; MADUREIRA, I. Desenho Universal para a Aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. In: Da Investigação às Práticas, 5(2),2015, p. 126 - 143.

ONU. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Convention on the Rights of Persons with Disabilities. Nova York: ONU, 2007. Disponível em: < http://www.who.int/features/qa/67/en/>. Acesso em: 21 mar. 2017.

REDIG, A. G.; MASCARO, C. A.; DUTRA, F. B. S. A formação continuada do professor para a inclusão e o plano educacional individualizado: uma estratégia formativa? Disponível em: < http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/dialogoseperspectivas/article/view/7328>. Acesso em: 21 dez. 2017.

ROSA, S. P. S. Fundamentos teóricos e metodológicos da inclusão. Curitiba: IESD, 2005.

ROSE, D. H.; MEYER, A. Teaching every student in the digital age: Universal design for learning. Alexandria: ASCD. 2002.

SANTOS, M. P. A Inclusão da Criança com Necessidades Educacionais Especiais. In: Caderno do Fórum Permanente de Educação e Saúde – MEC/Instituto Philippe Pinel – Ano 2000-pp56-62.

SANTOS, M. P. Desenho Universal para a Aprendizagem. In: Capellini, Simone A.; Mousinho, Renata; ALVES, Luciana Mendonça (org.). Dislexia: Novos temas, novas perspectivas. Rio de Janeiro: WAK, 2015.

SMITH, S. J.; LOWREY, K. A. Applying the Universal Design for Learning Framework for Individuals With Intellectual Disability: The Future Must Be Now. In: Intellectual and Developmental Disabilities. AAIDD: 2017, Vol. 55, No. 1, 48–51.

________. Making the UDL Framework Universal: Implications for Individuals With Intellectual Disability. In: INTELLECTUAL AND DEVELOPMENTAL DISABILITIES. AAIDD: 2017, Vol. 55, No. 1, 2–3.

SOUZA, M. M. M. de; GOMES, S. A. O. A Deficiência Intelectual na Educação De Jovens E Adultos: Uma ação de reconhecimento, contribuição e trabalho docente. In: As Redes Educativas e as Tecnologias – Educação e Democracia. UERJ: 2017. Disponível em < http://www.seminarioredes.com.br/ixredes/index.php>. Acesso em: 09 dez. 2017.

________. Adequações Pedagógicas como instrumento de desenvolvimento e emancipação: uma reflexão/ação na perspectiva do Desenho Universal Para a Aprendizagem. In: Anais do V Colóquio Internacional Educação, Cidadania e Exclusão. UFF: 2018. Acesso em 09 set. 2018.

________; PEREIRA, Bárbara Silva Santos. Adequações pedagógicas pautadas no desenho universal da aprendizagem como alternativa à dupla exclusão. In: IV Colóquio Internacional Educação, Cidadania e Exclusão, 2015, Rio de Janeiro. Anais Colóquio Internacional Educação, Cidadania e Exclusão: didática e avaliação. Campina Grande: Realize, 2015. v. 1.

________. Deficiência Intelectual e Adequações Pedagógicas: Uma perspectiva a partir do Desenho Universal para Aprendizagem. Dissertação – Mestrado Profissional em Diversidade e Inclusão. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2018, 182p.

________; DUTRA, F. B. S. Inclusão x Exclusão: Histórico, Políticas e Práticas do Processo Inclusivo. IN: VII Congresso Brasileiro de Educação Especial 2016. São Carlos: UFSCAR, 2016. Disponível em: < https://proceedings.galoa.com.br/cbee7>. Acesso em 12 Jan. 2018.

UNESCO. A guide for ensuring inclusion and equity in education. Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization, 2017.

_______. Declaração de Jomtien. Conferência de mundial sobre educação para todos. Jomtien, Tailândia, 1990.

_______. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca, Espanha: UNESCO, 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 21 mar. 2017.

_______. Educação para Todos 2000-2015: Progressos e Desafios. Paris: United Nations Educational Scientific and Cultural Organization, 2015.

VALLE, J. W.; CONNOR, D. J. Ressignificando a deficiência: da abordagem social às práticas inclusivas na escola. Porto Alegre: AMGH, 2014.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2005.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: desenvolvimentos dos processos psicológicos superiores. 6 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

________. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1995

________. Obras Escorrigidas III: Problemas del desarrollo de la psique. Madri: Visor, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Marisa Mendes Machado de Souza, Suzete Araujo Oliveira Gomes

A RevistAleph está indexada em:

         

       

Resultado de imagem para Latindex